No alerta a carta destaca “a necessidade de articulação das ações nos níveis federal, estadual e municipal em caráter emergencial

 –

De acordo com a associação a situação atual preocupa. Considerando o rápido crescimento do número de casos e de óbitos registrados em várias cidades de todas as cinco regiões do país nos últimos dias, estamos alertando as autoridades políticas sobre a gravidade da situação sanitária do país. A epidemia de Covid-19 se alastrou por todo o território nacional e o quadro verificado hoje pode em pouco tempo levar a uma situação pior do que já vivemos até aqui: o epicentro pode ser o país inteiro. Tanto nos hospitais públicos quanto privados, as taxas de ocupação estão aumentando e chegando em alguns níveis acima de 90%, o que indica que o sistema de saúde pode entrar em colapso rapidamente e o crescimento de óbitos ser maior ainda em função de falta de assistência.

Neste sentido, apelamos às autoridades políticas e sanitárias para que todos os esforços sejam feitos com a finalidade de conter a transmissão do vírus SARS-CoV-2 e diminuir os danos causados pela pandemia.

Leia a íntegra da carta:

Temos apontado a necessidade de articulação das ações nos níveis federal, estadual e municipal em caráter emergencial. No dia 3 de julho, junto com mais 13 entidades científicas da área da saúde e com a participação do Conselho Nacional de Saúde, lançamos o Plano Nacional de Enfrentamento à Pandemia de Covid-191, no qual estão descritas de forma clara as medidas que devem ser tomadas em caráter de urgência para conter a transmissão, proteger a população e cuidar dos doentes.

Apelamos para que todos os governantes somem seus esforços em cada esfera de atuação para que esta crise possa ser contida e para que o país não vivencie momentos mais graves do que já assistimos.

Mais uma vez nos colocamos disponíveis para auxiliar na construção de estratégias que possam aliviar o sofrimento de nossa população e tirar o país desta gravíssima situação sanitária.

Da Redação com informações da Ascom– ABRASCO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*